Símbolo Nazista

E se você só tivesse 15 minutos? E se num dos encontros quentes com uma das acompanhantes de luxo de Brasília você só tivesse esse tempo? E se, para isso, você tivesse que fazer uma petição para uma junta especial autorizando, ou não, a sua ida ao encontro do prazer? Se você não se identificou com nenhum desses casos, sorria muito! Você é um felizardo que não teve o desprazer de ser um prisioneiro dos campos de concentração.

Os Nazistas só permitiam que os ocupantes dos campos utilizassem tais serviços durante o período que ia das 19h às 22h e pelo tempo já citado. Assim, fica muito claro a importância do sexo e uma dose de libertinagem para a humanidade. Até os mais não humanos da história desta espécie, ao qual você que lê, faz parte, entendiam a importância do sexo para a ordem e o prosseguimento de seus sórdidos planos.

Mulheres tinham entre 17 a 35 anos

Mostrando como os tempos mudaram, as mulheres dos campos de concentração tinham entre 17 e 35 anos e eram consideradas uma espécie de prisioneira por comportamento antissocial o que simplesmente não tinham ocupação na sociedade. Ainda existiam as que iam voluntariamente, mostrando que sexualidade feminina sempre foi manifestada e muitas não tinham vergonha de manifestar, lembrando que o início do século XX foi muito importante para a revolução dos direitos das mulheres em todo o mundo.

Após a guerra, essas mulheres simplesmente foram esquecidas, pois perante o Nazismo, eram não eram presas que se enquadrassem no perfil dos prisioneiros dos campos de Buchenwald, Dachau, Sachsenhausen e o famoso e terrível Auschwitz.

O período em que trabalhavam nesse local foi marcado pelo trabalho escravo. Sim, escravo. Por isso não podemos jamais chamar essas guerreiras de profissionais, já que não recebiam um centavo sequer. Além disso, sofreram todos os tipos de machucados em seu aparelho reprodutor, já que muitas simplesmente perderam suas funções reprodutivas. Ao fim do processo, a maioria dessas mulheres, para evitar o sofrimento social, simplesmente esqueceram o seu passado.

Em caso de gravidez o aborto era compulsório

As guerreiras dos bordeis da segunda grande guerra eram submetidas a exames regulares que atestavam sua saúde. Afinal, os agentes nazistas tinham medo de que as doenças sexualmente transmissíveis virassem epidemias e comprometessem o plano. Apesar da agressividade da função, algumas ainda conseguiam engravidar, mas isso não era permitido. Elas eram induzidas ao aborto, mostrando que, quando há conveniência, qualquer coisas é válida e permitida.

A força para seguir em frente, é o legado de um tempo sem legado!

O que levar da guerra? O que levar de uma guerra como a segunda mundial? Nesse caso, ficou a bravura de quem venceu a morte ou preconceitos e até mesmo a dor pela sobrevivência ou a liberdade de suas escolhas. Motivações tão paradoxais só valorizam o que as acompanhantes de Brasília, Brasil e todo o mundo fazem pela liberdade de expressão feminina. Valorizam o movimento feminista e todas as escolhas que são feitas e só dizem respeito a cada uma delas.

Newsletter Brasil Lovers

Cadastre-se e seja o primeiro a saber sobre nossas novidades.

Brasillovers Nas Redes